terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Troposfera

Em 5 de Outubro de 2013 pedalei para a troposfera.
Serra da Lousã
Uma descolagem lenta com fraca visibilidade que suadamente se transformou numa subida vigorosa até ao céu azul da estratosfera.


Aqui, verifiquei os pontos de referência (serra do Caramulo no horizonte OK) reabasteci com uma banana



 e entrei em velocidade de cruzeiro


 por tempo indeterminado.

Houston we have a problem: os raios ultra violeta estão a danificar a fuselagem, sobretudo na zona do pescoço, orelhas e couro cabeludo.
Here Houston: received you stupid, quem te mandou cortar o cabelo antes de ires para aí? Trata mas é de aferir da rota de descida no GPS.


Confirmada a descida com aterragem  na Lousã e passagem pela aldeia do Gondramaz de modo a evitar a cintura de asteróides da estrada de Cacilhas e prevenir colisões potencialmente geradoras de problemas  (desde que arranjaram a estrada jipes e carrinhas orbitam por ali em rotas caóticas).


Houston, preparing to land, I´m about to enter the clouds, loose contact in 12 seconds ... 11, 10, 9 ... 5 ...


4 comentários:

  1. Desculpe, João, mas tive de me rir com o seu "desesperado" pedido de ajuda a Houston.
    E que incríveis tapetes de nuvens, parece neve ou algodão, sei lá, parece que vai de avião, parece que está no topo do mundo.
    Amazing!
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O nevoeiro cobre todo o vale entre as serras da Lousã e do Caramulo (os montes que se vêem na linha do horizonte) até aos cerca de 800 m de altitude. Há dias de sorte !

      Eliminar
    2. Encontrei uma vez um cenário semelhante (mas em pequeno) quando ia para a Pampilhosa da Serra e Góis, pela 112 toda esburacada e cheia de curvas. Nessa altura também vi uma raposa linda a atravessar a estrada.
      Cenário assim mas em grande, já lhe contei do Pico do Areeiro, onde estive em 84.
      Curiosamente nos Açores,onde estive em 78 quando ninguém ia aos Açores, apanhei sempre tempo bom, nem um pingo de chuva durante uma semana. Céus revoltos, sempre a mudar de tons e formas mas nada de chuva.
      Adorei aquelas paisagens agrestes, naturais.
      Agora, pelo que vejo na tv está tudo muito mais sofisticado.
      Ainda assim não me importava de lá voltar... até porque só visitei 4 ilhas: Terceira, Faial, Pico e S. Miguel.
      E o João já bikou por lá?
      Maria

      Eliminar
    3. Olá Maria,
      Nunca bikei nos Açores mas já pensei nessa possibilidade várias vezes. Sei que há lá iniciativas de BTT mas têm carácter competitivo, coisa que não me interessa muito. Em grandes grupos gosto de passeios por serras em autonomia e com orientação por GPS.
      Fui uma vez aos Açores, há uns anos, talvez no virar do milénio. Visitei as ilhas do arquipélago central a bordo de um grande barco (acho que se chamava Golfinho Azul).
      Até concluí que daria um bom marinheiro. É que, ao contrário de toda a gente, nunca me senti enjoado!

      Eliminar