sexta-feira, 3 de abril de 2015

Teoria de probabilidades

Serra da Lousã
(Abril de 2013)

E vai um tipo pela serra acima, a explorar novos percursos pelo vale da ribeira da Fórnea, passa charcos de água, pedala pelo meio de cascalheira e regos de água com inclinações acima dos 15 % e, às tantas, o caminho abre, a pendente fica suave, a luz é mai intensa, as árvores exibem as folhas brilhantes e ... um banco. Um belo banco de madeira, convidativo e inesperado.
A probabilidade de ter encontrado um banco ali seria para mim menor do que ter visto uma manada de elefantes.


Com vistas sobre a ribeira da Fórnea


mas siga, caminho acima, à procura de outras improbabilidades


por entre os verdes escuro da floresta


os contrastes luz/sombra


Até ao cimo da serra, aos azuis do horizonte



Sem comentários:

Enviar um comentário