quinta-feira, 3 de novembro de 2016

outro lugar em Novembros

Serra da Lousã aos 900m de altitude
(Novembros)


Hoje, dia 1 de Novembro de 2016



Há um ano atrás, no mesmo lugar. É o mesmo lugar, demos mais uma volta ao Sol e o sistema Solar deu mais uma volta num dos braços da espiral da Via Láctea e, acima disto tudo, o Universo expande-se. Relativamente ao ano passado, o planeta está num outro local do Universo. Ao contrário do que acontece nos romances previsíveis, nunca se volta ao mesmo lugar e por, isso, nem àqueles onde se foi feliz.
Ah e tal mas o lugar não são só as coordenadas xyz de espaço e sabe-se lá o que é o Universo. E depois há, ainda, os multiversos. E afinal parece que a teoria das cordas diz que há umas 9 coordenadas de espaço e mais outra de tempo.
Vamos assentar numa coisa: para o caso as coordenadas do lugar são as árvores, os caminhos e as pedras. Podia até - como fazia quando era novo e já sabia que as estrelas morriam e que o universo estava em expansão e me sentava nas pedras a olhar o céu e abraçava as árvores -  escrever o nome com nas árvores com uma navalha, arrancando a casca com os dentes, para marcar as coordenadas.

Portanto, no mesmo lugar, em Novembro, há um ano atrás (quer dizer, ao iniciar a última volta ao Sol que terminou hoje e mais uma volta no braço da espiral ...)


No mesmo lugar, dois meses depois do último Novembro



3 comentários:

  1. Fico sempre fascinada com as tuas fotos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fiquei muito contente com o teu comentário GM. Obrigado. Como bem sabes, pois tens fotografias belíssimas no teu blog, quando tentamos que a beleza à nossa volta fique num rectângulo limitado de uma foto o resultado fica sempre aquém daquilo que vemos.

      Eliminar
    2. Verdade, é difícil por vezes transmitir num pequeno quadrado, tudo aquilo que vemos. Já para não falar das emoções :)

      Eliminar